BPInterWays

Como pagar por importações e receber por exportações



Para condições de pagamento, consultar o seu banco para conhecer as formas de atuação e limites de valores que o seu cadastro possibilita.

Para o exportador, o recebimento antecipado é a melhor forma, para o importador o ideal seria pagar após receber a mercadoria.

Existem meios termos nesta situação:

- Pagamento com carta de crédito, LC ou DLC, onde o exportador somente recebe após a entrega dos doctos de embarque. Para casos de custos de embarque muito elevados, os vendedores costumam pedir parte do pagto, cerca de 30% antecipado.

- Em cobrança bancária após o embarque.

- A prazo com garantias bancárias

A carta de crédito tem vários custos para emissão e operação. Geralmente para valores abaixo de US$ 10 ou 20.000 dólares, fica inviável.

Alguns importadores costumam alegar que abertura de carta de credito no país deles “é muito complicada” e pedem que a operação seja em cobrança.

Sugiro fugir de clientes assim. A “tradução” dessa alegação é que o cadastro dele é ruim e os bancos não aceitam emitir a carta para eles. Os bancos são obrigados a pagar pela operação se os documentos estiverem em ordem. Então o risco da operação passa a ser do banco emissor da Carta de Crédito.

- Os fornecedores estrangeiros, para baixo valores, exigem o pagamento antecipado. Com certeza envolve riscos.

- Temos visto países que criam salvaguardas para garantir que os compradores não sejam lesados e para tanto, criam mecanismos que garantem ao comprador estrangeiro que o produto será fornecido. Antes de comprar certifique-se qual garantia pode ser dada pelo fornecedor.

- Se não houver garantia, existe o risco de perda. Exportadores de países bem organizados e sérios, geralmente honram o atendimento dos pedidos já pagos.

- O Brasil é um deles. Para todo valor recebido a título de venda, o exportador recebedor do valor terá que provar ter despachado o produto. Caso não o faça, deve comprar a moeda estrangeira de volta para devolver ao importador via cambio oficial.

Para todo valor pago antecipado a fornecedores estrangeiros, o importador brasileiro terá que provar ao banco onde fez a remessa ao exterior que a mercadoria chegou e foi regularmente liberada na nossa alfandega. A Declaração de Importação é o documento comprobatório.

Caso não o faça, deve comprar igual montante da moeda estrangeira para repor o valor ao Banco Central.

Ou seja, perde o dobro do valor. O que foi remetido ao exterior e o que devolveu ao Bacen.

- Onde e como operar com moeda estrangeira para importar e para exportar:

- Esta operação se chama de fechamento de cambio.

Pode ser feita diretamente com os bancos e por intermédio de Corretoras de cambio autorizadas pelo Banco Central.

- É recomendável fazer a operação com corretoras pois preparam todos os procedimentos com menor custo.

- Nos bancos o preenchimento de documentos deve ser providenciados pelo exportador/importador.

- Os bancos são exigentes quanto a cadastro do correntista e geralmente quem tem conta corrente a menos de 6 meses, não consegue operar com cambio na maioria dos bancos.


Ficou curioso com a nota de 100.000 Dólares ?

Notas em circulação

Hoje em dia, existem notas de 1, 2, 5, 10, 20 50 e 100 dólares circulando pelo mundo. Cédulas de 500, 1.000, 5.000, 10.000 e até 100.000 já foram impressas, mas foram proibidas pelo presidente Richard Nixon em 1969 para coibir seu uso pelo crime organizado. A cédula de US$ 100 mil dólares foi emitida entre 18 de dezembro de 1934 e 9 de janeiro de 1935 durante a Grande Depressão. Ela não chegou a ser usada por pessoas comuns e servia apenas para facilitar as transações de grandes somas de dinheiro entre os bancos. Ao todo, foram impressos 42 mil exemplares da nota, e ela foi usada até os anos 1960, quando as transações eletrônicas começaram a se tornar mais comuns. A partir daí, a maioria das notas foi destruída pelo governo. As remanescentes estão em poder do Federal Reserve (banco central norte-americano) ou em museus. Não há nenhuma nota dessa em poder de colecionadores particulares. A nota traz como efígie o 28º presidente dos Estados Unidos Woodrow Wilson... Fonte: https://caraoucoroa.blogosfera.uol.com.br/2019/06/12/conheca-a-cedula-de-us100-mil-que-vale-ate-hoje-nos-estados-unidos. - Veja mais em https://caraoucoroa.blogosfera.uol.com.br/2019/06/12



ARTIGO EM DESTAQUE